O SER           O RIO       A FlORESTA

 

Visualidade gráfica, poética e imaginário
Coordenação Geral: Celia Matsunaga Teal Triggs  e Ângela Saldanha
Coordenação de Projeto: Marisa Cobbe Maass; Gustavo DaRosa: Carlos Potiara: Daniel Mira
Mídias Digitais:  Alexandre Ataíde; Gustavo DaRosa; Gustavo Azevedo
Universidade de Brasília. Faculdade de Comunicação; Programa de Pós-Graduação em Design, IDA/UnB: Lab Visualidades Gráficas-Núcleo de Estudos Amazônicos;  CEAM/UnB: Royal College of Art, Londres


Apoio:  Laboratório de Produtos Florestais; IBAMA; Defensoria Pública da União: DPU Cultural: Vila de Alter Pousada Boutique


Programa de Iniciação Científica:  CNPq: Fundação de Apoio à Pesquisa; FAPDF
Ayana Saito Mira; Brenda da Conceição Silva; Bruno Matsunaga; Carolina Meneses; Catarina Xavier de Sousa; Clara M. Ortolani Smith: Isadora Castelo Branco: Kellen Barreto; Letícia Vieira Lima; Mariana Bitencourt dos Santos; Rafael Cardim Bernardes: Rebeca Hadassa: Sara Viana Sobreira Bezerra: Ursula Barbosa Rodrigues: Wanessa Pereira.

 

Obra gráfico-visual desenvolvida sob a forma de 9 três cadernos de viagem. Nesses cadernos, encontram-se fragmentos das vivências ocorridas em Santarém, Alter do
Chão, Belterra, aldeia Munduruku de Bragança – Marituba e arredores, no Pará, desde 2016. No conjunto das obras, encontram- se anotações, registros de memórias, que pretendem fazer refletir sobre a singularidade, os encantos e os desencantos da realidade amazônica. Tecidos por diferentes olhares e leituras, buscam traduzir a visualidade amazônica. Entre palavras e imagens, tornam-se visíveis a complexidade e a subjetividade amparadas no real e no espaço do imaginário, dentro do contexto da arte e
do design contemporâneos.