Skip links

A Máscara: do objeto artístico ao objeto cultural

Duração: 25 horas

Acreditação específica para professores dos grupos 240, 530, 600 e 999. 

Regime de frequência: Presencial

Modalidade: Curso de formação

Datas: 13 de abril (das 9h às 13h e das 14h às 18h); 20 de abril e 04 maio de 2024 (das 9h às 13h e das 14h às 18h30).

 

Localidade:  Casa da Imagem – Rua Soares dos Reis, nrº. 612, 4400-313 Vila Nova de Gaia

Formador: Rui Duarte

Área de formação: Prática pedagógica e didática na docência

Preço: Associados da APECV: 60 euros; Não associados: 110 euros

Objetivos a atingir:

– Descobrir as potencialidades de diferentes materiais reaproveitáveis na construção de um objeto plástico, artístico e cultural como o é a máscara.
– Explorar os mais variados materiais, fazendo uso de utensílios específicos e de técnicas diversificadas.
– Motivar os educadores e professores a integrarem processos de construção de máscaras em projetos educativos, transversais a diversas disciplinas.
– Integrar a construção de máscaras em projetos cooperativos que promovam valores e atitudes de autonomia, de responsabilidade, de cidadania e de inclusão.
– Motivar os educadores e professores para que conduzam processos artísticos que impulsionem o pensamento crítico e reflexivo, promovendo o debate e a partilha, através de uma participação colaborativa.

Conteúdos da ação:

– A máscara numa perspetiva histórica, cultural, artística e lúdica.
– Enquadramento da construção de máscaras em projetos educativos multidisciplinares.
– Composição e plasticidade dos materiais reaproveitáveis/recicláveis (plástico, tecido, fibras, cartão, pastas, metais, etc.).
– Técnicas de construção e acabamento.
– Ferramentas: uso e cuidados no seu manuseamento.

Metodologias de realização da ação

O formador orienta sessões teórico-práticas baseadas na aprendizagem em grupo, em que se inclui a: (i) transmissão verbal e visual dos conteúdos; (ii) experimentação de materiais; (iii) exemplificação das técnicas e (iv) aplicação prática das técnicas e produção de máscaras, a par da divulgação de exemplos de projetos integradores em contexto educativo.

Regime de avaliação dos formandos:

Relatório final individual, participação e trabalhos realizados durante o curso.
De acordo com o regulamento interno do CFAN APECV do sistema de avaliação dos formandos docentes, a escala é de 1 a 10.
Os parâmetros de avaliação são os seguintes:
— Trabalho desenvolvido nas diversas sessões de formação;
— Apresentação individual do trabalho;
— Qualidade do relatório individual sobre a aprendizagem adquirida.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência na web.