Skip links

Eliane Patricia Grandini Serrano

 

Eliane Patricia Grandini Serrano

UNESP – São Paulo – Brasil

 

Curadores de si: o caderno de artista como prática poética e pedagógica

 

Uma das questões que desde sempre inquietam a Arte se dá sobre o processo de criação. O interesse pelo processo pelo qual o objeto artístico se constrói, muitas vezes mais complexo e até mais interessante, do que a obra final e é a partir desta problemática, que este artigo se debruça. Apresentarei alguns cadernos de artistas produzidos por alunos do curso de Licenciatura em Artes Visuais da Faculdade de Arquitetura, Artes, Comunicação e Design da Unesp de Bauru, interior de São Paulo. No primeiro semestre de 2021, ainda no auge pandêmico provocado pelo Covid 19, a disciplina Mediações Artísticas e Pedagógicas estava sob minha responsabilidade, e foi oferecida de modo remoto com aulas síncronas. O conteúdo visa a reflexão do futuro professor de Artes Visuais sobre as experiências individuais que os levaram a escolher tal profissão. Toda a dinâmica é calcada nos aspectos teóricos e práticos da Arte, levando os estudantes a se perceberem como professores artistas em potencial, a fim de ampliar o repertório e os horizontes de expectativas de cada participante. Sob a temática “Curadores de si”, os alunos foram estimulados a produzirem cadernos de artista, os quais foram confeccionados artesanalmente e apresentados em forma de vídeo. Ao final percebeu-se a importância da poética para a prática inicial e também para a educação continuada do professor de Artes Visuais.

 

 

 

Eliane Patricia Grandini Serrano

UNESP – São Paulo – Brasil

video

COR AZUL, ENSINO DA ARTE, MULTIDISCIPLINARIDADE, CULTURA VISUAL

Resumo

O estudo da cor pode ser abordado por diversas perspectivas, sendo considerado um tema multidisciplinar, então, discutir esse assunto parece sempre necessário e enriquecedor. Meu objetivo é demonstrar, através de uma investigação que busca exemplos nas artes visuais, na música e no cinema, como a cor azul é utilizada para representar o sentimento de tristeza, melancolia ou solidão. A cor azul, que aqui aparece com um recorte, já assumiu várias representações e simbologias através dos tempos dentro e fora da história da arte, que é o campo ao qual dedico minhas pesquisas. Essa amplitude de vertentes que se apresentam no estudo das cores é o ponto principal e fundamental para que o ensino das artes se apoie nessa colaboração multidisciplinar

Este site usa cookies para melhorar sua experiência na web.