Propositor: Professor-artista Me. Marcelo Forte

Local: Quinta da Cruz

Data: 6 de Outubro, 14.30h 

Inscrições 

Oficina Gratuita para associados da APECV 

 

Tema:

A mancha como potência para a produção de desenhos voltados ao contexto de intervenção urbana

 

Objetivo geral:

Desenvolver desenhos a partir de manchas sobre papeis e criar juntamente com os participantes um projeto de intervenção urbana utilizando reproduções das imagens realizadas coladas em diferentes espaços da cidade.

Objetivos específicos:

  • Perceber as potencialidades dos pigmentos naturais para a criação de manchas sobre papeis
  • Ver nas manchas dispositivos para a produção de desenhos
  • Explorar os materiais e a superfície manchada para a criação de imagens
  • Trabalhar coletivamente em um projeto de intervenção urbana (lambe-lambes)

 

Justificativa:

A proposta de partirmos de manchas para a realização de desenhos, possibilita-nos explorar os grafismos e espaços do papel de forma criativa e inventiva. Através dessas ações, teremos o entendimento de que o desenho pode acontecer por diversas vias e de diferentes formas. Não há um padrão e tampouco uma única maneira de desenhar. Bem como, as manchas orientam o traço, mas não obrigam o desenhista a segui-las. Através das manchas desconstruímos e reinventamos formas, objetos, plantas e animais. Misturamos elementos e transformamos seres de diferentes origens em híbridos que habitam o universo do papel.

Além disso, o uso de pigmentos naturais alerta para questões ambientais e abre caminhos para pensarmos em alternativas no uso de materiais para a produção artística individual ou para propostas de desenvolvimento em sala de aula, no caso de professores.

A segunda parte, que corresponde ao projeto de intervenção urbana, vai ao encontro daquilo que artistas contemporâneos estão fazendo em termos de trabalhos colaborativos. Pessoas são convidadas a participar de ações propostas pelo artista e com os resultados, são produzidas exposições e/ou intervenções. Com esta ação especificamente, as imagens dos participantes espalhadas em diversos sítios da cidade de Viseu e arredores, permitirá aos participantes uma identificação com o trabalho produzido e um envolvimento maior com as ações artísticas presentes na cidade. E uma vez que seus desenhos estejam nas ruas, habitando espaços públicos, haverá a possibilidade da comunidade também ter acesso àquilo que foi produzido em contexto de oficina.

 

Conteúdo:

Imagens de produções artísticas de intervenções urbanas;

Desenhos da série “Abraço”, produzidas pelo propositor.

 

Procedimentos metodológicos:

1º momento: Falar brevemente sobre a proposta de intervenção urbana com desenhos produzidos a partir de manchas;

2º momento: produzir misturas líquidas utilizando materiais naturais;

3º momento: manchar os papéis com as misturas e deixar secar;

4º momento: apresentação de imagens de produções artísticas

5º momento: retorno às manchas para a produção de desenhos

6º momento: Conversa sobre os resultados e definição do projeto de intervenção urbana a ser realizada futuramente.

 

Recursos e materiais:

Projeção em powerpoint de imagens artísticas;

Copos e espátulas para misturar os pigmentos;

Papel grande ou plástico para pousar as folhas manchadas enquanto secam.

Folhas de papel A3 (gramatura >200)

Canetas coloridas

Lápis coloridos

Pigmentos naturais (açafrão, extrato de beterraba, café, folhas, etc)

Álcool

 

Avaliação:

Os participantes se envolveram com a produção de pigmentos e de manchas sobre os papeis?

Conseguiram produzir desenhos tomando as manchas como referência?

Interessaram-se em levar seus desenhos para as ruas da cidade através de lambe-lambes?

Envolveram-se com o projeto colaborativo de intervenção urbana?