Eixos de Trabalho: As artes visuais promotoras de situações de aprendizagem para a Educação Ambiental; Patrimonial e Educação Para a Cidadania 

  • Formação em Património; Alertar para a necessidade de tomar consciência do território; espaço natural e construído

  • a Educação Artistica e as Mudanças Climáticas

  • Mapear o estado da Educação Visual e  disciplinas da área da educação artística/ artes visuais nas escolas Públicas

Estratégias
  • Inquérito nacional junto de professores e escolas sobre o nº de horas e professores dos grupos 240 e 600; horas atribuidas para Ed, Artística; Educcação Visual; e modo como as cargas horárias estão a ser distribuídas ( construção do inquerito até novembto, implementação até fevereiro; análise de dados até abril; publicação de resultados: maio )

  • Exposições, Laboratórios e Oficinas de formação com artistas e educadores convidados

  • cursos de formação de Professores: Centro de Formação de Professores Almada Negreiros- CFAN

  • Documentar e Publicar Pesquisa e Prática na àrea da Educação Artística ( Edições APECV: Revistas Imaginar, Invisibilidades e E-books)

  • Projetos Circle e Academias do Conhecimento

 

      31º Encontro da APECV : Paisagens . 23-24 de março – Quinta da Cruz​, Viseu 

 

Exposições

 

VER AQUI

 

 

OFICINAS

 

 

Visitas a ESCOLAS
  • Etna com Ana Duque ( Paradinha, Viseu)
  • Manchar, com Marcelo Forte ( Balsa, Viseu) 


CURSOS de Formação de Professores 

       VER AQUI

 

Projetos 

 

Parceiros: Arci-Catania, Sicilia – parceiro coordenador; APECV; Upi-Zalec – Eslovenia e Hors-Pistes , França . 6 educadores da APECV foram selecionados para o treino na Arci- Catania , em outubro de 2018.  2 grupos de adultos com deficiencias motoras ou problemas de saúde mental em Viseu e 2 grupos de adultos em Oliveira de Frades irão receber workshops dinamizados pelos educadores da APECV em conjunto com os educadores das entidades parceiras Gapric e Assol . Os educadores irão testar o E-porfolio como instrumento de motivação para a aprendizagem, para aprender a aprender; validação de competèncias e reflexão sobre o progresso da aprendizagem em contexto de educação de adultos,

 

 

  • Colaboração no Projecto Academias do Conhecimento coordenado pela Ordem dos Arquitectos

A valorização da cultura territorial é uma das áreas em que se sente a necessidade de desenvolver as competências das novas gerações, identificada nas medidas da PNAP e do Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território, de “ativar a educação para uma nova cultura territorial”. O objetivo final deste projeto é desenvolver as competências de 200 jovens dos 13 aos 18 anos, para os habilitar a reconhecer o valor dos espaços interiores e exteriores onde vivemos e identificar os desafios que se colocam ao território, num ambiente de participação ativa, com 10 escolas de 5 cidades diferentes do país. Com recurso ao método “Criatividade, resolução de problemas em ação”, o projeto estimula as oportunidades de realização dos jovens e o interesse das orientações curriculares pela qualidade da arquitetura e da paisagem urbana e rural, para enraizar a consciência do lugar e valorizar o território e o património como bens comuns, que devemos legar às próximas gerações.