ENCONTRO ANUAL da  Associação  de Professores de Expressão e Comunicação Visual 

CONFERÊNCIA: PAISAGENS 

Uma conferência com convidados de várias áreas profissionais e geográficas para debater o Tema da Paisagem no âmbito da Educação Artística; Educação Ambiental  e da Educação para a Cidadania em contextos de educação formal e não formal.  Estão abertas as inscrições para apresentar contributos ou para assistência. A Conferência é acreditada como curso de formação para professores dos grupos 240 e 600 . 

INSCRIÇÕES

Neste ENCONTRO queremos promover sessões de partilha de experiências, saberes e procura de estratégias para  fomentar atividades educativas em âmbitos formais e não formais sobre a consciência do Território e a aquisição de atitudes críticas em relação à Paisagem.   Em Portugal,  um dos  objetivos da política nacional de ordenamento do território,  é a de  “activar a educação para uma nova cultura territorial.”
Segundo a Ordem dos Arquitetos Portugueses  as opções tomadas no âmbito da arquitetura e da paisagem decorrem fortes implicações para o desenvolvimento do país, em termos de sustentabilidade ambiental, eficiência energética e combate às alterações climáticas, contribuindo-se assim para uma economia mais competitiva e aberta e uma sociedade mais digna e justa. Na  Política Nacional de Arquitectura e Paisagem (PNAP), onde se reúnem a Direção Geral do Território (DGT), a Direção Geral do Património Cultural (DGPC), a Associação Portuguesa dos Arquitectos Paisagistas (APAP) e a Ordem dos Arquitectos (OA), destacam-se igualmente os objectivos de incrementar e disseminar a cultura cívica territorial. Uma das suas medidas mais importantes é promover a integração das temáticas da arquitectura, da cidade e da paisagem nos programas escolares dos vários níveis de ensino não especializado, em particular nos currículos do ensino básico e secundário, que visem estimular uma cultura de cidadania,
para enraizar a consciência do Lugar e valorizar o Território como um Bem Comum.

Na Educação Artística, onde se podem fazer fazem cruzamentos entre Educação ambiental e Educação para a cidadania através de PROCESSOS ARTÍSTICOS imensas possibilidades de ação são possíveis. Em Portugal os professores de artes visuais; muitos mediadores culturais  e trabalhadores sociais estão interessados em debater  experimentar  e ajudar a difundir projetos  educativos  e de investigação  sobre a apropriação e representação  do espaço natural, coletivo, urbano e doméstico. O Tema da PAISAGEM, muito querido às artes visuais aparece assim neste 31º Encontro da APECV como um desafio a estereótipos e convenções  sobre a representação da paisagem e  questionamento do tema HABITAR A PAISAGEM a partir de múltiplas perspetivas. 

Neste Link poderão encontrar a chamada  de contribuições para esta conferencia, convocamos todos e todas que estejam a trabalhar a PAISAGEM  a partir de processos artísticos e educativos para partilharem experiências numa sessão de partilha ( mesa redonda ou painel)  durante a conferência em Viseu. 

 

ORADORES e ARTISTAS  CONVIDADOS

Joaquim Pinto e outros representantes da ASPEA ;   Maria Jesus Agra-Pardiñas  Cristina Trigo / coordenadoras do Coletivo C3; Natalia Poncela e Teresa Moure ( Paisagens escritas: livros de ensaio na Coleção Alicerces, Editora Através) ; João Paulo Queiroz ( FBAUL). Joan Vallés ( universidade de Girona) Maja Maksimovik  da Universidade de Belgrado;  María VIdagañ , Universidade de Valencia; Drazán ; Coletivo Tuia de Artificios ;  Estrella Luna Munoz (  Trafico Libre de Conocimientos, Grupo de Intervenção Social )

 

 

Organização:   Teresa Torres de Eça (APECV-Viseu); Célia Ferreira (APECV- Guimarães) ; Sandra Gouveia ( APECV-Viseu); Ana Rira Antunes ( Quinta da Cruz)

 

Conselho Científico: Ângela Saldanha (APECV);  Rui Alexandre ( APECV); Luísa Vidal (APECV); Marta Ornelas ( APECV), Paula Rodrigues ( IPV, Viseu); Ana Melo ( ( IPV, Viseu); Tiago Cruz (Instituto Universitário da Maia -ISMAI-IU,  e Centro de Investigação em Artes e Comunicação -CIAC); João Paulo Queiroz ( FBAUL); Marcelo Forte ; Mónica Oliveira ( ESE Paula Frassinetti) ; Sandra Palhares ( UM); Conceição Cordeiro ( ESE Portalegre); José Maria Mesias ( Universidade de Pontevedra); Carmen Franco ( Universidade de Santiago de Compostela): Joan Valles ( Universidade de Girona); Carmen Lidon Beltran Mir ( Universidade de Salamanca); Tiago Caldas ( IP de Beja); Aldo Passarinho ( IP de Beja).;  Estrella Luna Munoz; Rita Basílio ( Instituto de Estudos de Literatura e Tradição – Patrimónios, Artes e Culturas (IELT), da FCSH-UNL: Editora da Revista Dobra; Ana Sousa (ESE de Lisboa); Mª Dolores Soto González ( Universidad Florida, Valencia)